♦ Espetáculo em Yosemite este mês

Em fevereiro, “cachoeira de lava” é espetáculo da natureza no famoso parque nacional da Califórnia

Texto: Edelman

O Parque Nacional Yosemite, na Califórnia, reúne três das 20 maiores cachoeiras do mundo: Sentinel Fall, Ribbon Fall e Yosemite Falls, a maior da América do Norte, com 729 metros de queda. E, em fevereiro, é possível contemplar um espetáculo da natureza, chamado Firefall, na cachoeira Horsetail. O fenômeno natural é gerado pela convergência dos céus claros com uma certa quantidade de neve derretida que costuma existir nesse período do ano. Conforme o pôr do sol se aproxima, a névoa capta os raios de sol e cria uma fabulosa ilusão de ótica que dura cerca de 10 minutos, possibilitando imagens extraordinárias.

A Firefall pode ser vista de diversos pontos do parque, mas os mais disputados são a área de piquenique do El Capitan, a mais ou menos 3,2 quilômetros do Yosemite Valley Lodge. Turistas e locais também curtem o momento com um coquetel Firefall (chocolate quente com tequila, creme de cacau e pimenta pasilla) no lounge do Majestic Yosemite Hotel, principal hotel da região.

Maravilhas de Yosemite

Yosemite, declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1984, é repleto de lugares dos quais o parque pode se orgulhar, das paredes escarpadas do Yosemite Valley ao visual alpino de Tuolumne Meadows, e suas cachoeiras guardam muitas surpresas. Com uma caminhada de 1,6 quilômetros é possível apreciar a vista do topo da mais alta delas, a Yosemite Fall e uma caminhada fácil, de 189 metros na Bridalveil Falls, te leva a um ponto de observação abaixo da cascata ondulada. Já a subida até Vernal e Nevada Falls é feita em degraus de pedra que levam à beira de dois declives enormes, onde você pode avistar o rio Merced sob a cordilheira rochosa. No lado sul do parque, perto de Wawona, a Chilnualna Falls esbarra em uma série de cordilheiras de granito.

Saiba mais sobre o Parque Nacional de Yosemite aqui.

Anúncios

Publicado por

Paulo Mancha

Jornalista especializado em turismo, foi editor chefe da Revista Viajar pelo Mundo e repórter das revistas Terra e Próxima Viagem. Desde 2003, fez mais de 25 reportagens internacionais e, em 2012, foi agraciado com o Prêmio de Melhor Reportagem da Comissão Europeia de Turismo. Comentarista esportivo do canal ESPN, Paulo decidiu unir neste blog as duas paixões: viagens e esportes.